24

mar

Comprei um imóvel de frente para o mar! E agora, o que são as taxas de marinha? Por Juliana Schmatz

Redação Meu Frente Mar

 

 

 

As tão faladas taxas de marinha, conhecidas como laudêmio, foro ou taxa de ocupação, são taxas pagas à Secretaria de Patrimônio da União (SPU) pelos proprietários dos imóveis que estão localizados em terrenos de Marinha pertencentes à União.

São tantos nomes e taxas que acabam confundindo a nossa cabeça. Algumas pessoas pensam que é a mesma coisa, outras nem sabem da existência das mesmas, e, quando realizam a compra de um imóvel frente mar se deparam com esses valores a serem pagos.

Então, vamos entender a diferença entre elas?

O laudêmio refere-se a um valor que deve ser pago à SPU para possibilitar a transferência de propriedade de forma onerosa.

O foro ou taxa de ocupação, por sua vez, são receitas patrimoniais de contribuição anual. É um percentual que deve ser pago para a SPU como se fosse uma “taxa de ocupação”.  Você paga pelo usufruto de um imóvel em área litorânea.

Se você gosta de ler, continua que tem mais…

O que é o Laudêmio?

Laudêmio é uma receita patrimonial que a União recebe quando o ocupante transfere os direitos de ocupação ou aforamento para outra pessoa mediante título oneroso.

Trata-se de uma receita patrimonial devida à União Federal a cada transação onerosa existente sobre o imóvel aforado, ou seja, a cada compra e venda, permuta, cessão de direitos ou conferência de bens a fim de que a União autorize a transmissão do bem.

É pago uma única vez, porém, este pagamento deve ser feito a cada transferência da propriedade. Funciona com uma lógica parecida com o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis).

A DARF é gerada no site da SPU ou você pode contratar um despachante que cuidará de cada detalhe.

Ufa!! Primeira etapa superada, agora temos que fazer a comunicação à União. Sim, ainda tem mais! Após o pagamento é preciso comunicar a União e a mesma precisa emitir a Certidão de Autorização para Transferência de Titularidade (CAT), que vai autorizar a transferência da propriedade, podendo assim finalizar a escritura de compra e venda.

Atenção, após da emissão da CAT, ainda é preciso:

1) Alterar o responsável pelo imóvel no cadastro da SPU enviando um requerimento com documentos anexados, como RG do comprador e um título de aquisição do imóvel (como escritura ou matrícula atualizada). Sujeito a multa caso não comunique.

2) Receber uma resposta da SPU: o resultado da solicitação será enviado por e-mail, mas é possível também consultar o andamento do pedido no Portal da SPU.

Por isso, a ajuda de um profissional é sempre bem-vinda né!

Agora sim, é só aguardar a chegada da taxa de foro ou taxa de ocupação, valor pago anualmente e também recolhido pela SPU, que funciona “como se fosse um IPTU”.

Essas taxas têm valores e cálculos diferentes entre si. Mas, vou deixar essa pro próximo post meus queridos!

Espero ter ajudado vocês!

E aí o que vocês acharam desse conteúdo?

RECEBER NOVIDADES POR EMAIL


(47) 3268.6461
(47) 9 9122.9887

Rua 1500, 820, sala 1901 - Centro, Balneário Camboriu - SC
Sky Business Tower

© Copyright 2016-2018 Meu Frente Mar - Corretores Especializados - CRECI/SC 3114-J

WhatsApp